Tratamento contra as enxaquecas

Este tipo de dor de cabeça conhecida como enxaqueca dores de cabeça ou enxaqueca começa geralmente antes dos 30 anos e a pessoa que sofre tem que conviver com ela durante grande parte de sua vida. A enxaqueca é uma doença crônica. Portanto não existe um tratamento definitivo que cure a enxaqueca, mas sim que existe tratamento para controlá-la de forma bem-sucedida e poder levar uma vida normal. A freqüência das crises é variável. Costumam ocorrer entre um e quatro episódios ao mês e a sua duração também é relativa, a partir de 4 até 72 horas, caso não se realize nenhum tratamento. Para tratar a enxaqueca, podemos falar de dois tipos de tratamento:sintomático (que é executado quando aparece a dor de cabeça) e o preventivo (indicado para os casos de enxaqueca complicados, ou seja, quando se sofrem mais de três crises mensais). O tratamento sintomático deve-se mencionar: -Os analgésicos ou calmantes (ácido acetilsalicílico) ou paracetamol). Não é o método mais utilizado já que a sua eficácia é baixa. Além disso, podem provocar dor de cabeça crônica diária, de forma que pode causar dor de cabeça diariamente. – Antiinflamatórios (diclofenaco ou naproxeno). São os que mais são utilizados quando as crises são intensas. Entre seus efeitos colaterais, pode causar problemas no estômago (gastrite e úlcera). -Ergóticos. Utilizam-Se muito em combinação com analgésicos simples. Não devem ser utilizados caso você ainda não tenha recomendado por um médico, já que podem causar fraqueza, câimbras, formigamento ou dor de cabeça crônica diária. -Triptanes. É o fármaco mais específico para tratar a enxaqueca e é aplicada em todos os episódios de crise intensa. No que diz respeito ao tratamento preventivo são utilizados fármacos destes grupos: beta-bloqueadores, bloqueadores dos canais de cálcio ou medicamentos que atuam sobre o sistema renina-angiotensina-aldosterona. Em qualquer caso, só há que se tomar o medicamento recomendado pelo médico e nunca sexual. Fonte imagem thinkstock