Efeitos da comida queimada para a saúde

As churrasqueiras costumam encantar muita gente, sobretudo na hora de organizar festas. No entanto, convém preparar churrascos só de vez em quando e tentar eliminar as partes queimadas. O mesmo pode ser dito de outros alimentos que, ao cozinhá-los, queimam-se muito e são contraproducentes para a nossa saúde. Na nossa alimentação diária costumamos incluir alimentos como carne de vitela, porco, peixe, cordeiro ou de legumes, entre outros. Contêm proteínas para o organismo, mas em multidão de ocasiões em que se cozinham muito, e até mesmo são queimados e deixam de trazer benefícios. Há que ter cuidado com a comida queimada já que traz nada substâncias benéficas para o nosso organismo. De fato, o aparecimento do câncer se vê favorecido pelo hábito de comer alimentos cozidos. O assado ao fogo de carvão é uma técnica culinária que tem suscitado o debate entre os especialistas. As gorduras que estão submetidas a temperaturas superiores a 250 graus deixam de ser naturais. Os alimentos grelhados, as substâncias tóxicas ficam sobre a superfície de carnes e peixes defumados. Permanecem na superfície, embora não penetram demasiado a massa. Aquecer ou fritar demasiado os alimentos supõe submetê-los a temperaturas muito elevadas, de forma que os nutrientes se transformam. O que fazemos é aumentar o dióxido de carbono que contém e toxinas que passam diretamente para o nosso organismo quando ingerimos a partir. Estas substâncias podem causar alguns transtornos, já que são difíceis de digerir. Um excesso de toxinas que atacam diretamente às células do organismo. Por isso, aumentamos as chances de desenvolver doenças ao consumir alimentos queimados, entre elas o câncer de estômago ou do cólon. Portanto, devemos prestar atenção na hora de cozinhar os alimentos, pois é prejudicial habituarnos a consumir este tipo de alimento. Isso não significa que tenhamos que privar-nos de comer alguma vez alimentos grelhados, mas não se deve abusar deles. Fonte imagem para o flickr