A Depressão nas mulheres

A depressão é um transtorno do humor que se caracteriza por um estado de depressão e infelicidade que pode ser transitório ou permanente. Apesar de que todos nós sentimos tristeza e melancolia, em algum momento de nossas vidas, é quando essa situação se prolonga no tempo, de modo que interfere de forma séria no nosso dia-a-dia, quando falamos de depressão. Embora a depressão pode afetar qualquer pessoa, sua incidência é duas vezes superior no caso das mulheres, especialmente aquelas que se encontram em idade fértil. Esta disparidade entre os gêneros pode ser devida a fatores fatores neurobiológicos (estrogênio e predisposição genética) e psicossociais (expressividade emocional, a própria identidade feminina e as relações sociais), mas não se sabe ao certo a influência de cada um deles. Em qualquer caso, uma em cada cinco mulheres sofrerá de depressão ao longo de sua vida, sendo a primeira causa de incapacidade em mulheres entre os 18 e os 44 anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), daí a importância de conhecer esta doença e tratá-la adequadamente. As relações sociais, a amizade e a família são muito importantes na vida das mulheres que estão um bem-estar excepcional quando organizam suas vidas em função dos outros. No entanto, isso mesmo faz com que muitas mulheres se esquecer ou deixar de lado seus próprios desejos e necessidades e a perda deste papel lhes cheia de um vazio que pode ser acompanhado de um humor depressivo. Neste sentido, para a recuperação deste transtorno, os especialistas sublinham a importância de combinar o tratamento medicamentoso com uma série de hábitos de vida saudável que começar por algo tão simples como é se dedicar tempo a si mesma. Assim, manter uma dieta saudável, fazer exercício físico de forma regular, a dedicar um tempo a si mesma e respeitar as horas de sono são uma grande ajuda para se proteger da depressão. Do mesmo modo, as relações íntimas e baseadas na confiança, assim como o apoio de familiares e amigos permitem atenuar os efeitos da depressão. Em relação ao tratamento da depressão, este deve ser individualizado para cada paciente, combinando a psicoterapia com a medicação (apenas no caso de depressão moderada ou severa) e escolhendo um ou outro antidepressivo, em função dos sintomas que manifeste o paciente, a sensibilidade que possa apresentar os efeitos colaterais e a severidade da doença. Além disso, na hora de determinar o tratamento mais eficaz na mulher há que ter em conta uma série de fatores, como são as flutuações hormonais ou determinados períodos (gravidez, parto e amamentação).